segunda-feira, agosto 24, 2009

O disco que me fez gostar de mpb

Comecei a ouvir música tarde, aos 12 anos, quando descobri o Green Day por meio do meu irmão, Rafael. A partir daí o rock tomou conta da minha vida. Um pouco depois ouvi Megadeth, minha banda preferida desde então, e essa paixão não cessa.

Até os 20 anos só gostava de som pesado, não admitia nada vindo de outro mundo que não fosse o meu. Como diria um amigo, tinha pré-conceitos sobre o desconhecido. Minha sorte mudou ao conhecer esse disco, responsável por ter aberto a minha cabeça.

Se tivesse permanecido radical como era em outros tempos não teria a oportunidade de entrevistar Milton Nascimento para o meu Trabalho de Conclusão de Curso. Também não conheceria a beleza da música brasileira e o improviso do jazz, por exemplo. Seria infeliz.

Vagabundo, gravado em 2003 e lançado pela Somlivre, tem um repertório escolhido a dedo. Composições de Jackson do Pandeiro, Martinho da Vila, Itamar Assumpção, João Ricardo e Pedro Luís, cantadas de forma primorosa por Ney Matogrosso, nosso maior intérprete.

A parte instrumental do álbum, a cargo da banda carioca Pedro Luís e a Parede, é de uma riqueza e criatividade impressionantes. Violões, guitarras, saxofones, alaúdes, cavaquinhos e uma infinidade de instrumentos de percussão, tudo milimetricamente encaixado.

Dizer que esse disco mudou a minha vida não seria exagero. A sua importância reflete apenas a qualidade contida nessas 14 canções maravilhosas. Indicado pra quem deseja conhecer a música brasileira.

Veja Noite Severina, do DVD Vagabundo - O Filme.

53 comentários:

Wagner Lopes disse...

Eu tb comecei com o Rock, e depois fui me abrindo a outros estilos
Abraços

DONA LOBA disse...

tambem gostamos de rock, mas nada exagerado!
adorei teu blog.
beijos

carimbador disse...

de muê 12 ...
agora falasse minha lingua ...
hehehehe

sonzera

Peba disse...

Muito bom Daniel, sou músico e parabéns pelo post! Gostei!

luiz scalercio disse...

cara bellissimo blog gostei muito porque seu blog fala de tds estilo de musicas valeu.

Lilo disse...

Lembro, há uns 2 anos atrás, quando tu me passou todo o CD e a gente ficava comentando sobre ele. DO CARALHO!

Parabéns!

Abraço

seuvicio disse...

Era um disco redondo?

Glaucio-Rockeriot disse...

o Rock é minha base, mas tenho a cabeça aberta para ouvir outros estilos de música, tirando pagode e sertenejo é claro! Isso seria demais. rsrs

Então sempre escutei rock mas gosto de algumas músicas mpb, pra ser sicero tem uma música que eu acho incrivel na voz de Ney Matogrosso, só não me lembro o nome agora, no mais ele é um grande interprete, apesar de eu não agradar muito do seu estilo estravagamente, mas tem uma voz incrivel.

Vou ver se baixo esse album, pelo o que você falou parace valer a pena.

Allan (tonin) disse...

Tem gente que gosta, né?! Gosto é gosto! =]
Minha paixão começou com Elis!

iti disse...

certamente, faria qualquer um gostar...
http://www.maquinazero.com.br/

Keisy disse...

Confesso que na minha casa, o Rock é o mais ouvido' Mas adoro MPB tbm' Principalmente Ney Matogrosso' ;) BjinhOs!

Jefferson Prime disse...

bicho eu passei a gostar de mpb depois daquela música sozinho do caetano e barquinho um dos classicos da mpb..dai em diante foi só ir atras do que é bom...mais eu curto rock geralzão tmb...

vlw!!

Paula disse...

Obrigada pela visita, eu tb não gosto de tv, prefiro outras mídias. Curti o seu blog, música é uma paixão, mas cinema é algo insuperável para mim! Vou te seguir!
Até mais.

Eduardo Oliveira disse...

Nossa.. vou procurar esse CD. Realmente gostei do post e do blog, abraços!

Alexandre Campos disse...

Qualidade musical inquestionável! Melodia linda.
E ainda tem gente que não gosta, fazer o que.
Abraços e boa semana Daniel

palavras ao vento disse...

rock...sempre e o começo para otros estilos...e como se abrisse um horizonte musical...

Fabiano Che disse...

De Mpb, só Chico buarque mesmo

Eu, Thiago Assis disse...

se não tô enganado, quem me fez gostar de mpb foi Djavan.
nunca parei pra ouvir um album todo de Ney MT.

Ramon disse...

É sempre válido adotar uma postura receptiva que possibilite uma absorção daquilo que há de melhor em cada estilo! Tô ctg brother! =)

dominiomarinho disse...

eu comecei com musica clássica e operas antes dos 9 anos, apresentadas a mim pelo meu pai, obras como Pedro e o Lobo, A Flauta Mágica, Sigmund e Brunehilde, O Fantasma da Opera entre outras obras. Mais tarde pelos 11 anos conheci o Hard Rock, sendo meu primeiro contato pela banda Whitesnake e o punkrock pelo Offspring, além do Metal através do Rhapsody e Angra. Somente pelos 15 anos aprendi a gostar também de Eros Ramazzoti, Kenny G, MPB, Jazz e Blues no geral entre outros estilos (como o j-pop). Enfim, acabei por me tornar muito eclético, mas minhas paixões ainda são os Clássicos, as Operas e o Hard Rock!

André Damasco disse...

caramba!
vou procurar esse disco!
pela descrição parece muito bom mesmo.
abraço ;D

Ramiro Catelan disse...

Excelente pedida! A voz do Ney Matogrosso nesse disco tá excelente, e o instrumental da Pedro Luís e a Parede é algo fora de sério.

Abraço!

dominiomarinho disse...

Essa história deve terminar no próximo capítulo, talvez em mais dois, não sei bem ainda... Mas meu folego para postar já anda meio capenga, antes eu postava a cada dois dias, agora só de semana em semana HUEUHEUHE Espero voltar a ter o folego de antes...

Irving Maynard disse...

Gosto de rock, preferencialmente o da década de 80. Mas, gostar de música e querer descatar o bom e velho MPB, não dá.

Ney! Esse ai nem se fala!

há, parabéns pela entrevista com o Milton, outro grande nome!

layne disse...

seu começo não foi ruim, ouvia green day né? pra voce ter ideia, quando o greenday apareceu na minha vida, eu ouvia CD no aparelho de som, hoje em dia não sei mais nem o que é isso. cada vez que passa adoro mais a musica brasileira, cada vez que encontro um cd de um artista novo e que gosto eu ouço até saturar minha cabeça, rs. é importante curtir todos os ritmos, muitas vezes por preconceito deixamos de conhecer as outras vertentes, porque sempre tem pelo menos uma laranja(maçã?)boa na cesta. adorei seu blog, falou de musica eu me encanto :d conheço o ney faz um tempinho, esse cd é otimo. to te seguindo *--*

Leandro Ribeiro disse...

Curto muito Rock, teu post é bem escrito gostei bastante do teu blog. Parabéns cara!

Ah! e muito massa ter conseguido a entrevista com o Milton Nascimento, demais.

Abraço.

layne disse...

quer dizer, ia te seguir se achasse como.

Arthur A. Melo. disse...

curto greenday
especialmente holiday!
http://arthurmelo92.blogspot.com/

Murilo disse...

Esse cd é realmente primoroso, inovador, surpreende a cada faixa. Foi premiadíssimo na época (é, às vezes a crítica e a imprensa acertam nas premiações... rsss)
Concordo contigo c/ relação ao Ney Matogrosso, é mesmo nosso maior intérprete. Impressionante como ele vai do pop ao lírico c/ a mesma desenvoltura e brilho, talvez só ele consiga tanto ecletismo sem perder a marca pessoal. E por falar em acertos nas premiações, merecidíssimo o Prêmio Shell 2009 dado p/ Ney. O texto apresentado pelos jurados é perfeito.
Parabéns pelo blog. Curto muito!

Renan Bergfeld disse...

REALMENTE, ESSE CD PARECE SER FANTÁSTICO, SÓ FERA...

Cooringa disse...

Não tenho pré-conceito-sobre-o-desconhecido ...
Mas não curto não!
Hehehe
E além do mais ele é Homossexual!
haui ahiuaha uihauiah
Abraço

eternamentecarpediem disse...

Pedro Luís e a parede é muito bom; o Ney então, com e sem os Secos e Molhados, um artista para a história da MPB.

Cidadão das nuvens

JuANiTo disse...

Olá!
Me deixou na curiosidade.
Pois pra um disco despertar a pessoa para outro estilo e ainda mais seu caso q era um estilo muito distante, O trabalho tem q ser muito bom!
E como amante da boa música, vou pracurar para ouvir também!
Abraço!

Rosy disse...

Não curto muito este estilo musical, mas o cara é bom!

Shaddix 2.0 disse...

O rock e o pop são minhas paixões.
MPB eu só curto a Marisa monte e a Céu.

www.parano-id.blogspot.com

Itamar (japa) disse...

eu sou rockeiro assumido, tbm, mas tbm gosto de várias outras coisas, existe muita música boa além do rock...
mas rock é ROCK!!!

SAUDAÇÕES!

Blog do disse...

Adoro Ney desde de muito tempo, adoro muito a música Poema que ele canta é maravilhosa.

Ainda conhecerei este disco.

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.cjb.net
www.twitter.com/blogdorubinho

Érica Franzon disse...

Uau! Esse CD é tudo... fui no show em 2006 e entrevistei o Ney. Ele foi um fofo. A participação de Pedro Luis e a Parede foi essencial também. Amei o post.

Nova Quahog disse...

MUITO BOM!
ADORO MUSICA EM GERAL!

visitemongohelson disse...

minha primeira banda de rock foi o silverchair... hoje, já sou mais eclético e apaixonado pelos anos 90, desde o grunge, passando pelo indie americano, o brit rock, nu-metal, as bandas punks feministas e até um pouco do metal de cabelo curto...
Assim é que é bom... vivendo e aprendendo!

J.F. Marques disse...

Gosto de todo tipo de música, música pra mim tem que ser boa, sendo assim eu escuto.

Thomaz Coelho disse...

UAHSuahs
pois então..
conheci o 12 nessa fase dark e não aberto a nada mais que rock pesado..
^^
bom post.. depois vejo o video!
:D

Wagner Lopes disse...

Ainda não conhecia essa banda
Gostei do som deles

Anônimo disse...

Doze, parabéns pelo post, tabém acho esse disco muito bom...
abs
JP

radik disse...

Meu caro colega de blog, agora você acertou em cheio aqui.

Também sou do Rock. Quando comecei a navegar pela psicodelia roqueira nacional, passei por mutantes e me detive nos Secos e Molhados.
PLAP eu tinha conhecido distantemente por dizeres de um conhecido do Rio de Janeiro.
Mas foi quando ganhei este álbum de uma ex-namorada (que sabia do meu gosto pelo timbre de voz do Ney), é que vi e senti MPB pela primeira vez. Foi um tapa na cara!

Esse álbum é declarado por mim, mero apreciador, uma obra-prima brasileira. Mesmo sendo releitura de alguns consagrados.

Destaque também - se é que é possível que haja destaques para um destaque por completo - para a obra impressa, um encarte pra lá de autêntico.

De resto, mais uma vez, um post fabuloso.

Um grande abraço!

FábioE§¢orpïão disse...

Que bom que vc abriu a cabeça e conheceu a MPB.

Ney é um artista raro, único, um dos mais carismáticos que já vi. O trabalho com o Pedro Luís eu não conheço muito bem, mas seu último show ("Inclassificáveis"), eu vi duas vezes, é sensacional.

Uma coisa legal dele é que sempre abriu espaços para compositores e músicos novos: a banda dele é toda formada por uns meninos, bem jovens.

Depois volto aqui com tempo para ver a entrevista com o Milton.

Abraço.

www.ocolecionadordehistorias.com.br

Versos Controversos - Alan Salgueiro disse...

Ney, além de um cantor de primeira é linha é um performer, um verdadeiro show man! Unir suas qualidades à uma banda do gabarito da PLAP era no mínimo suspeita de coisa muito boa, e assim se fez!
Boa dica, Daniel!

Wander Veroni disse...

Que bonito o seu relato, Daniel! Também descobri a MPB tem alguns anos, mas pq acho que o Brasil não valoriza muito as coisas que tem. Hoje escuto de tudo, desde que tenha qualidade. Não podemos fechar os nossos ouvidos para o mundo, não é mesmo?

Abraço

Guttwein disse...

Então cara, até hoje eu sou meio xiita quando se trata de conhecer bandas novas rsrs... e o duro é ter conscienia disso e não tomar jeito!

Recentemente baixei a guarda e dei-me uma chance de ouvir algo relativamente novo(ao menos pra mim). Artic Monkeys.E sabes que não achei dos piores!? rsrs

Mas, foi uma recaida musical leviana e pasageira; assim como é com a enibriante cerveja e com o maldito cigarro!

Minha sogra é fanática pelo Ney, e devido a ela,conheço bem o trabalho dele...realmente, apesar dos pesares, é um musico e tanto!

mulherices disse...

Ney é um artista FABULOSO! E ainda bem q vc começou a gostar de MPB!

Jorjão disse...

Assim Assado é a minha musica favorita desse disco!!
Parabens pelo post!
Abração

Blog and Roll disse...

O Show do Pedro Luis e a Parede é excelente. Parabéns pelo post!
Abraço!

Mattheus Rocha disse...

O disco é fantástico !!!! E é verdade. Nossos gostos mudam e, quando não temos preconceitos, evoluem.

Um abraço !!