segunda-feira, maio 25, 2009

As revoluções musicais de Miles Davis

Miles Dewey Davis III nasceu para romper barreiras. Vindo de uma família rica de Alton, estado de Illinois, Miles Davis é responsável por mudanças significativas na forma de tocar e conceber o jazz.

Em 1944, aos 18 anos, teve uma grande oportunidade ao participar de algumas apresentações com a big band do cantor Billy Eckstine em St. Louis, cidade para a qual seus pais se mudaram em 1927, um ano depois do seu nascimento. Faziam parte deste grupo o trompetista Dizzy Gillespie e o saxofonista Charlie Parker, criadores do bebop.

Poucos anos mais tarde, no final dos anos 40, Miles Davis instituiria um novo estilo, o cool jazz. Um som mais calmo, sem o virtuosismo e a complexidade do bebop. O trompete de Miles soava limpo e puro, que valorizava cada nota executada. A popularidade do gênero é tanta que, Kind of Blue, disco gravado em 1959, é o álbum de jazz mais vendido de todos os tempos.

Mas é com a gravação de Bitches Brew, em 1969, que Miles Davis justifica a sua posição de artista dos mais influentes e revolucionários. A inimaginável fusão de jazz e rock soa perfeita. O nível de improvisação e experimentalismo nos seus quase 100 minutos de música é de chocar qualquer um.

Miles Davis foi o cara que mais revelou músicos talentosos. Muita gente apareceu e fez fama tocando com o trompetista. A lista é grande: os saxofonistas John Coltrane, Wayne Shorter e Cannonball Adderley, os pianistas Chick Corea e Herbie Hancock, o guitarrista John McLaughlin e muitos outros.

Em 1991, aos 65 anos, Miles Davis morreu de pneumonia, insuficiência respiratória e acidente vascular cerebral (AVC), em Santa Monica, Califórnia. Se estivesse vivo, faria 83 anos amanhã.

Assista a clássica So What, do disco Kind of Blue, de 1959.

7 comentários:

Jef disse...

esse é um cara que eu pago pau, mas quase não tenho escutado, recomendo pra qqer um que goste de jazz, ou que tb não goste haha, belo post, parabéns ai x)

Lilo. disse...

Quase não toca o coitado!
Muito o bom o Jazz, entene?
heuheuheuhe

Abraço primo

ãããããã

Alan Matos disse...

Ótimo lay-out Daniel!

E temos alguns gostos musicais parecidos! Bom trabalho e sucesso!

Abraço!

Klebinho disse...

do caralho... mto bom.. cool jazz!!!!

Cooringa disse...

O Negão é foda!!!
Muito bom o som!
Abraço

Jean disse...

Ouvi falar que ele tocava muito bem! Que legal!
Cara, parabéns pela iniciativa de publicar o domínio estéticamusical.com. Acredito que merece até um post sobre isso, pois o blog abre essa possibilidade de bate-papo com o leitor. Mais uma vez, parabéns!
Long Live Rock & Roll

Marcondes disse...

Ora, que bicho cavalo! Sozeira!
Coltrane já tinha escutado, mas o Miles Davis não.
Parabéns pelo blog, cultura musical!

Abraço