sexta-feira, maio 26, 2006

Entrevista com Ozias Alves Jr.

Há pouco mais de quatro anos, o jornalista Ozias Alves Jr., editor do jornal ‘Biguaçu em Foco’ (SC), compilou uma série de histórias e informações que resultaram no breve histórico do heavy metal na grande Florianópolis.

Fruto de muita pesquisa, este documento foi publicado primeiramente no site Whiplash, o maior portal sobre rock no país, onde recebeu inúmeros elogios dos leitores, hoje ele figura na página que o jornal possui na internet.


Ética Musical: Quando surgiu a idéia de criar este dicionário do heavy metal?
Ozias Alves Jr: Surgiu numa conversa com um grande amigo meu dos tempos do colégio Catarinense, o Alexandre Benedet “Camisão”. Ele comentava sobre as antigas bandas de heavy e que não havia qualquer registro sobre as mesmas. Aí tive a idéia de escrever o "Breve Dicionário do Heavy Metal da Grande Florianópolis".

EM: Como foi o processo? Qual a maior dificuldade?
OAJ: A idéia original era escrever a história do heavy metal da Grande Florianópolis. No entanto, desisti dessa idéia, pois, como sou muito ocupado, não teria tempo de empreender a pesquisa. Sou editor de um jornal diário. A solução passou a ser escrever em formato de "dicionário". É mais rápido e prático. A maior dificuldade que tive foi justamente a falta de documentação.

EM: Terá alguma atualização nas informações?
OAJ: Boa pergunta. Desejo atualizar, é verdade. Aliás, minha vontade é fazer um site com o dicionário e, ao final de cada verbete, disponibilizar as músicas em MP3 das bandas citadas. Quando fiz a pesquisa, no final de 2001 e no primeiro semestre de 2002, percebi que muitos antigos roqueiros da Grande Florianópolis guardam fitas cassetes. São gravações de ensaios, shows, piratas, no banheiro (onde a acústica é melhor para gravações caseiras) etc. Se vier a fazer uma atualização, se o tempo permitir, desejarei fazer com essas gravações. Assim muita gravação será salva do completo desaparecimento.

EM: O tema do meu trabalho é ética na música, como você acha que ela pode ser aplicada neste meio?
OAJ: Sobre ética na música, não tenho o que falar por não ser músico. Posso dar um palpite: trata-se de não respeitar as regras estabelecidas pela legislação do setor.

EM: Quais são as suas bandas/estilos preferidos?
OAJ: Minhas bandas preferidas? Bom! Para começar, não sou um "radical”, gostava tanto do rock and roll quanto do heavy metal. Certa época fui chamado pejorativamente “Ozias rock and roll”. Engraçado. Quem me chamava disso, hoje canta que ama o rock and roll. Comecei escutando Kiss, que é ora chamado de heavy metal ora de hard rock, ora de rock, mas o certo mesmo seria “Kiss” pois os caras são fora de série. Outra banda que virou minha cabeça foi o Venom, os precursores do black metal. É uma banda de Newcastle, norte da Inglaterra. E na Grande Florianópolis, as bandas que me fizeram a cabeça são o Burn, o Corrente Sanguínea, o Vastness e o Gardênia. Esta última tem uma canção fora de série. Trata-se de “Óleo Diesel”, um verdadeiro hino ao estilo rock and roll de viver.

3 comentários:

davi disse...

foto de carteira de identidade é foda

Andrezza Melo disse...

Olá Daniel e Suellen, estava navegando pelo blog de IMD3 e fuçando uma página aqui, outra ali, acabei achando o blog de vocês. Também faço Jornalismo na Estácio e na quinta-fase tivemos que fazer um programa de rádio. Escolhemos falar sobre ditadura militar e música, sobre como os movimentos artísticos se manifestavam em um tempo de repressão e como pensar nisso tudo por uma ótica ética. Pesquisamos muito e acabei me apaixonando ainda mais pela música, pena que como o nosso programa poderia ter apenas 15 minutos, tivemos que manter o foco e ao achar o blog de voCês lembrei da liberdade que a Intenet oferece.

Espero que o blog tenha vida longa, pois o que eu fiz na minha terceira fase está bem abandonado...hehehe
E gostaria de fazer uma sugestão, que tal socializar todos os endereços de blogs que vocês fizeram. Sinceramente, tentei procurar isso no blog da disciplina e não achei. Na realidade nosso curso falta comunicação..

Bom resto de semeste


Andrezza Melo

Elker disse...

Olá Daniel, estou interessada em sua pesquisa de ética musical. Recebes-te meu e-mail?? Se não.. meu contato é prof.esthervaroto@yahoo.com.br

Inté

(meu nome é...) Esther Varoto