domingo, dezembro 23, 2007

Melhores de 2007

Acabei de ver Alta Fidelidade (de novo), um dos meus filmes preferidos. Todas aquelas histórias e listas do Rob Gordon (John Cusack) me influenciaram a criar um Top 5. Como ninguém mais vai lançar um disco sensacional este ano, acho, posso citar os cinco discos lançados em 2007 de que mais gostei. São eles:


Megadeth - United Abominations

Não consigo evitar. Sendo minha banda preferida, este novo disco do Megadeth foi, evidentemente, o mais aguardado e festejado deste ano. O som agressivo e técnico, guiado pelos riffs ferozes da guitarra de Dave Mustaine, está mais forte do que nunca. Com uma formação entrosada, que conta com os irmãos Drover e o baixista James Lomenzo (ex-Black Label Society), o grupo lançou um trabalho acima de tudo coeso, como não víamos desde Youthanasia (1994).



Dazaranha - Paralisa

Falar do Dazaranha é fácil. Na minha opinião, uma banda injustiçada. Se fosse de São Paulo ou do Rio de Janeiro faria muito mais sucesso. Neste novo disco a banda aposta em um som mais moderno, sem as "viagens" dos trabalhos anteriores. Bem produzido, o CD mostra um lado mais comercial do grupo, sem deixar de lado as letras divertidas e o ritmo contagiante que fizeram da banda unanimidade aqui em Santa Catarina.



Foo Fighters - Echoes, Silence, Patience & Grace

Dave Ghrol é um cara iluminado. De um simples coadjuvante no Nirvana, o baterista, guitarrista e vocalista transformou-se hoje em uma estrela do rock, graças ao Foo Fighters. Depois de In Your Honor, lançado em 2005, pensei que ele não conseguiria manter o nível. Estava enganado. Ainda bem. Músicas como a maravilhosa 'Stranger Things Have Happened' e 'Let It Die' colocam a banda no lugar mais alto entre as bandas de rock da atualidade. Recomendo.



Roberto Fonseca - Zamazu

O representante do jazz. O pianista cubano Roberto Fonseca, 32 anos, impressiona não só pelo seu talento, mas também pela sua desenvoltura diante do instrumento, digna dos grandes mestres. Zamazu transita com tamanha destreza entre a música cubana e o jazz, resultando em uma mistura deliciosa. Grata surpresa. Imperdível.




Smashing Pumpkins - Zeitgeist

Estava com saudades do Billy Corgan. O Zwan não era uma banda ruim, até gosto. O seu disco solo, The Future Embrace (2005), também não me conquistou. Essa volta dos Smashing Pumpkins era o que estava faltando. Mesmo sem James Iha, ex-guitarrista e peça importante na banda, a originalidade que levou o grupo ao estrelato está intacta, graças a voz característica de Corgan e todo o seu talento como compositor. Que não fique só neste disco.

Concorda? Não? Mande a sua lista.

7 comentários:

Bruno Benetti disse...

Faaaaalaa Manoo!!!!

Daniel...

Queria parabenizá-lo pelo trabalho. Sei que ele está no começo, mas tenho certeza q será um belo blog!!!

ficarei de olho!!!!

abraços,

Bruno Benetti

Ramiro Catelan disse...

Daniel!
Hahaha.
Sabe que não concordo com nada que tu fale do Megadeth, né? Dazaranha, nem se fala... o carinha de jazz, eu não conheço, é bom mesmo?
Já com o FF eu concordo e assino embaixo! Muito legal o disco...
Smashing Pumpkins eu nunca ouvi mais de uma música, depois me manda uma?
De modo geral, bem escrito! :)
Continua postando, abraço!

Lucas disse...

Meu caro, Parabéns pelo seu blog sou seuspeito a falar, porque adoro musica como vc sabe, mas seu trabalho esta muito bom mesmo falando de um tema que eu adoro musica parabéns estarei sempre ai conferindo seu trabalho

Jean disse...

Boa Popico! Agora, como tu sabes tb sou fã do Daza. Ano passado assistimos o último show da banda, lembras? Mas vou te dizer que não curti muito esse disco não. Sei lá, ouço ele pra caralho e não bate. Os dois primeiros são foda, o terceiro é legal e esse... Bom, é isso ai meu velho, vou baixar esse Smashing Pumpkins e ver se é Duca mesmo. Aquele abraço do magrão

Jean disse...

Ah, esqueci de uma coisa. Tb acho Alta Fidelidade massa pra caralho. Boa lembrança

Carolina disse...

Tua lista ficou legal.
A minha demorou, mas aí está:

Beirut - Flying Club Cup
Minha mais nova paixão(como bem sabes)... música experimental de qualidade inegável.

Orquestra Imperial - Carnaval só Ano que Vem
Sambinha com cara de manhã ensolarada. Uma mistura de vários estilos que resulta num trabalho raro.

Arcade Fire - Neon Bible
Um som louco, com uma desordem de emoções(que eu me vejo nele). Corinhos suaves e pesados. Ah, sem esquecer do Xilofone mais encantador.
É difícil dizer, mas é meu predileto.

Radiohead - In Rainbows
A banda "mais do mesmo" que sempre me conquista.
Gosto da mistura e da melancolia...

Rush - Snakes and Arrows
Além de toda a crítica negativa, achei um bom albúm, a guitarra legal, um somcarregado de emoção e diferente do último(o que já ganha pontos).

=*

gui disse...

poo.. broo muito show esse teu trabalhooo cara..
bixo e concordo cntg a parada de o dazaranha naum faze mas sucesso pq naum eh de sp ou outa cidade grande com mas oportunidades...eu que estou começando agora no ramo, na batalha com banda e tals.. ja vejo a dificuldade de alguem cresce na musica em santa catarina, e os cara como o daza. eruam pra ta long ja..
mas q esse cd deles fico meio fora da realidade deles. em... naum curti muito esse ultimo trabalho deles naum, mas ta valendoo
eh isso ae broo.. muita massa tua iniciativa... parabenss
abraçooo